lagoa

A Prefeitura de Mário Campos está desenvolvendo um projeto de completa revitalização da Lagoa do Campo Verde, um dos principais cartão-postais da cidade. Dentre as obras de melhorias está o desvio da rede de drenagem da avenida Governador Magalhães Pinto, que atualmente deságua na lagoa. De acordo com o secretário de Obras, Frederico Flausino, a água que desemboca na lagoa é exclusivamente da rede pluvial, ou seja, água da chuva, “não é jogado esgoto no local”, disse.

A secretária de Desenvolvimento Sustentável, Elisângela Campos, informou que também está sendo feito um projeto para sondagem da mina da lagoa. Segundo ela, moradores antigos do município afirmam que a lagoa é abastecida por nascentes de água. “Através da sondagem vamos confirmar se existe mesmo essas minas e se elas continuam ativas. Caso elas existam, vamos realizar a limpeza e a revitalização dessas nascentes”, informou.

Sobre o questionamento do desassoreamento, a informação é que não seria indicado realizar esse procedimento antes de saber sobre a existência das minas. Segundo Flausino, abaixar ainda mais o nível da água da lagoa, sem conhecer a situação da mina, poderia causar o fim real da nascente d´água.  Além disso, a limpeza seria temporária, “nas primeiras chuvas, a água da rede pluvial levaria toda a terra e material orgânico acumulado na rede para a lagoa”, disse.

Outra solução apresentada é a construção de um poço artesiano que serviria como fonte de abastecimento de água do local, além de poder ser usado para manutenção da área verde ao redor da lagoa.