História

INFORME HISTÓRICO DA CIDADE DE MÁRIO CAMPOS

 

HISTÓRICO DA CIDADE

Cronologicamente as terras de Mário Campos já pertenceram as grandes freguesias do ouro. Os desbravadores também passaram por aqui a procura de ouro e de pedras preciosas. As terras do Bairro Reta Dois ou Reta do Jacaré foram lavradas a procura do ouro, daí seu primeiro nome ter sido Lavras. Recebeu também o nome de Carlos Chagas e depois Mário Campos em homenagem prestada ao médico Sanitarista Dr. Mário Álvares da Silva Campos.

Mário Campos junto com Sarzedo e Ibirité eram um só povoado chamado de Várzea do Pantana que já pertenceu a:

Villa Real de Sabará – 1711, que foi o berço de quase todos os municípios da grande BH.

Ao Distrito de Santa Quitéria, 1832/1901, hoje é a cidade de Esmeraldas.  A Contagem em 1911.  Em 1938 a Betim com o nome de Capela Nova de Betim. E em 1962 quando Ibirité se emancipou de Betim ficou integrado a Ibirité como povoado junto ao Distrito de Sarzedo.

Foi elevado a condição de Distrito pela Lei Estadual Nº. 8.285, de 08 de outubro de 1982, tendo sido instalado oficialmente distrito em 05 de maio de 1985. Emancipou-se em 1995, pela Lei Estadual Nº. 12.030 de 21 de dezembro de 1995.  A instalação do município se deu em 1º de Janeiro de 1997.

 

1- Localização e estruturação

Mário Campos ocupa uma área de 35,8 Km2 localizada no Quadrilátero ferrífero margeado pela Serra dos Três Irmãos e Serra do Funil ao sul. Pertence a região metropolitana de Belo Horizonte, sendo um dos menores em extensão territorial.

 

2-Agricultura e Comércio

Tem na agricultura sua principal atividade econômica integrada ao cinturão verde da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Abastece o CEASA, mercados e restaurantes da região.

Produz: alface, couve, couve-flor, cebolinha, salsa, tomate, chuchu, quiabo, pimentão, cenoura, beterraba, brócolis, laranja, café, milho, ora-pro-nobis, cheiro verde, etc. A Cultura da Alface é o carro chefe e tem sido cultivada em toda a região do município por mais de cinquenta anos. Atividade pecuária sobressai com a produção de galináceos, criação de peixe, bovino e suíno. Produção para abate, ovos e derivados do leite. O setor agrícola é o que mais emprega a mão de obra local.

Seu Comércio em pleno desenvolvimento atende bem a população na pluralidade de produtos de primeira necessidade. Têm grandes e pequenos supermercados, depósitos de material de construção, banco, agência lotérica e correios.

 

3- Indústrias

No setor industrial é ainda não contamos com  um distrito industrial. Mas temos indústrias funcionando bem e gerando empregos e renda para nossa população como a Aquasolis, Plas Dias, Empório Funil, Água Mineral Bela Minas, Rodominas. A construção civil absorve grande parte da mão de obra.

 

4- Festas tradicionais e culturais

-Festa de São Sebastião em Janeiro no Bairro Bom Jardim.

-Festa de São Turíbio, em abril no Lambari.

-Festa do Divino Espirito e Santo em maio, na Reta Dois.

-Festa do Apostolo João II, maio no Campo Verde.

-Festa de Santo Antônio em junho, no Funil.

-Festa de São João Batista , junho no Balnário Bom Jardim.

-Festa do Sagrado Coração de Jesus, em junho no Bairro Tangará.

-Arraial dos Vicentinos, em julho, no Centro.

-Arraial da Imaculada, Praça da matriz no centro em julho.

-Marcha pra Jesus – Encontro Evangélico na Praça do Campo Verde.

-Festa da Alface no Bom Jardim em agosto.

-Festa de Nossa Senhora da Conceição na Vila da Serra em agosto.

-Festa de Nossa Senhora Aparecida, em outubro, na Vila Ondina.

-Festa de São Judas Tadeu, outubro no Bela Vista.

-Encontro de Folias de Reis no centro em outubro.

-Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conceição em dezembro.

-Festa da Virada do Ano em dezembro no Bairro Campo Verde.

 

5- Pontos Turísticos

-Trilhas nas encostas da Serra dos Três irmãos e na Serra do Funil.

-Sítios, Pousadas, Clubes, Fazenda e Hotel.

- Fonte da água mineral, uma das maiores do mundo.

-Praça da Lagoa do Campo Verde (patrimônio histórico e paisagístico).

-Bares e Restaurantes com a típica comida mineira.

-Pesque e pague

 

6-Obras e Prestação de Serviços em andamento:

-Sede Administrativa.

- Sede do Legislativo Municipal.

- Drenagem e pavimentação no bairro Tangará.

-Transporte para todos a bem da saúde – Circular Municipal

-Reformas e ampliação das escolas, quadras e estádios municipais.

 

7-Dados Estatísticos

Mário Campos fica na região do Vale do Paraopeba.

-Estimativa de aproximadamente 15.000 habitantes /2015 IBGE

-Extensão Territorial: 35,8 Km2.

-Limites do município: Brumadinho, São Joaquim de Bicas, Betim e Sarzedo.

-Distância de Belo Horizonte: 37 km.

Vias de acesso: BR 381/ MG 155 e MG 040.

 

Fontes de informações: Súmula: o município de Ibirité, Secretaria de Educação E Cultura de Ibirité, 1999. Dicionário Escolar com a História de Mário Campos, Departamento Municipal de Educação -1998 – IBGE/2010.2013. Históricos de Pesquisas da Secretaria de Cultura  e Turismo  de Mário Campos.

Colaboradores: Vice-Prefeita Efigênia, Secretária Municipal de Cultura e Turismo Elizangela,

Agricultores, Empresários e moradores mais antigos da região.