Tanto tem-se falado sobre sustentabilidade e como a reciclagem do lixo orgânico, conhecida como compostagem, é importante técnica que ganha cada vez mais adeptos e gera benefícios significativos para a gestão do lixo.

Em média, cada brasileiro gera 383 kg de lixo por ano, o que gera impacto significativo no sistema de coleta e destinação do lixo urbano. Muitas vezes, sem muita consciência disso, famílias além de gerarem tal volume, não apresentam comportamento correto quanto à separação do material orgânico e do material reciclável.

Passo número 1 para educação ambiental é dar a destinação correta ao lixo, de forma a reduzir o lixo e gerar oportunidades de renda a partir da reciclagem. Isso também resulta em reutilização de materiais, que garantem a sustentabilidade do planeta.

Num segundo momento, as pessoas podem começar a aprender dar, elas mesmas, a destinação correta dos lixos orgânicos, aprendendo a técnica de reciclagem, por meio da compostagem.

Compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico, como sobras de alimentos. Trata-se de um processo natural em que os micro-organismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica. A técnica ajuda na redução dos restos, tornando-se uma solução fácil para reciclar os resíduos gerados em nossa casa.

A compostagem não é uma prática nova. Agricultores já utilizavam o método de reciclagem do lixo doméstico para obtenção de fertilizante orgânico. Mas, atualmente, está ganhando popularidade por causa de maior preocupação com a sustentabilidade. Nos dias de hoje, com a pressão para a utilização de métodos direcionados para a preservação do meio ambiente, há um novo interesse em compostar os restos de comida em casa como uma solução para a redução do volume de resíduos domésticos que são encaminhados para os aterros.

Esse hábito ainda pode fornecer uma opção saudável de adubo orgânico para plantas e hortas. Com isso, cada vez mais pessoas querem colocar a mão na massa e fazer a sua própria compostagem.

Importância da compostagem para o meio ambiente e para a saúde da população

Segundo dados do IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o material orgânico corresponde a cerca de 52% do volume total de resíduos produzidos no Brasil e tudo isso vai parar em aterros sanitários, onde são depositados com os demais e não recebem nenhum tipo de tratamento específico.

O uso da compostagem traz muitas vantagens para o meio ambiente e para a saúde pública, seja aplicada no ambiente urbano (domésticos ou industriais) ou rural. A maior vantagem que pode ser citada é que, no processo de decomposição da compostagem, não ocorre a formação de gás metano, gerado nos aterros por ocasião da decomposição destes resíduos. O gás metano produzido nos aterros é altamente nocivo ao meio ambiente e muito mais agressivo, pois é um gás de efeito estufa cerca de 25 vezes mais potente que o gás carbônico, potencialmente determinante das mudanças climáticas.

Além disso, diminuindo a quantidade de lixo que destinamos aos aterros, haverá, por consequência, uma economia nos custos de transporte e de uso do próprio aterro, ocasionando o aumento de sua vida útil desses aterros e o redirecionamento dessa economia para políticas públicas de desenvolvimento.

A compostagem também promove a valorização de um insumo natural e ambientalmente seguro, adubo orgânico, atuante sobre a reciclagem dos nutrientes do solo e no reaproveitamento agrícola da matéria orgânica. Com isso, é evitado o uso de fertilizantes inorgânicos, formados por compostos químicos não naturais, que também são nocivos ao desequilíbrio do efeito estufa.

Você ainda tem dúvida sobre a importância da gestão do lixo na sua casa?

Se você compreendeu sobre sua responsabilidade e tiver interesse em saber mais e praticar sua consciência ambiental em casa, acesse a matéria do Ecycle Guia da compostagem: recicle todo resíduo orgânico da sua casa de maneira sustentável e entenda os passos que pode cumprir para ser um cidadão ambientalmente correto.

Fonte: https://www.ecycle.com.br